Tags

sobre estrutura

370

Kandinsky

“estrutura” é uma palavra que eu uso muito, em diferentes contextos. quando olho pro passado, vejo a ausência de estrutura para suportar e lidar com alguns acontecimentos (talvez o mais forte deles a morte do meu irmão, surgindo daí uma depressão reativa).

quando olho para o futuro, relaciono a estrutura como “algo que tento construir todos os dias, por meio da minha percepção e consciência” para que o meu caminho se torne cada vez mais o meu caminho de fato, e não aquilo que outros esperam de mim ou querem que eu seja.

é uma estruturação que se busca para dar conta não só dos aspectos negativos que carrego, mas de aceitá-los e transformá-los, para que então eu tome as decisões (geralmente difíceis) que envolvem o amadurecimento necessário para que eu me torne quem eu verdadeiramente sou, mas talvez não saiba ou não consiga colocar em prática.

o que tenho percebido, e me motiva a escrever aqui, é que por mais pesados que os enfrentamentos necessários têm sido, há uma estrutura-base bem construída até o momento (afinal, em tempo somado, cinco anos de terapia é bastante coisa). a ironia que não me escapa é que quanto mais consciente somos, menos bullshit de nós mesmos (e dos outros) parecemos suportar – e, portanto, somos mais exigentes e demandamos mais ação da nossa parte (e dos outros).

o importante mesmo, e acho que é sempre bom reconhecer isso na gente, é perceber que nos últimos meses vi a possibilidade de divórcio dos meus pais, a releitura do que é amor pra mim, o contato com sentimentos que há muito achei estarem resolvidos apenas por não querer olhar pra eles, toda a minha família saber (e comentar) sobre a minha orientação sexual, bem como uma situação de homofobia em um local público.

não morri, não desisti, não me desesperei, não me desestruturei.
e ainda quero saber o que mais vem por aí, com vontade e curiosidade pelas novas formas que posso descobrir e criar ainda mais estruturas.

Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Advertisements