Tags

grito.png

sinto que, coincidentemente com o fim do ano, está na hora de “começar do zero”. é a impressão que o ano novo nos traz, ainda que não dure mais do que o estouro dos fogos. no meu caso, só aconteceu próximo mesmo.

a questão é que reinventar-se, recomeçar, reconstruir é difícil. o maior desafio da minha vida é passar pelos estágios de “ação X é tóxica” -> “compreender o por quê da ação X na minha vida até agora” -> “o que posso fazer para aos poucos remover a ação X”.

a minha tendência é identificar a ação tóxica e não conseguir sair da cama ao me dar conta de que ela existe; me culpar por agir de tal forma; duvidar que vou conseguir superá-la; acho que você deve ter percebido que a vitimização é outra ação tóxica que preciso superar.

ameniza um pouco ir pra terapia por que lá eu ouço que não é só pra mim – pra todo mundo é assim, mesmo que os referenciais sejam diferentes. a apatia, a inércia, o acomodar-se: são padrões humanos.

o excepcional e o extraordinário é a conquista, o equilíbrio, a percepção, a autoconsciência, a independência – na verdade são coisas muito raras.

how can something so free feel so rehearsed?
Advertisements